• Jornal Esporte e Saúde

Como incentivar o uso da máscara em crianças com Transtorno do Espectro Autista?

Especialista dá dicas para introdução do objeto no dia a dia dos pequenos




A máscara acabou virando uma das nossas companheiras mais fiéis. Afinal, é ela que também nos ajuda na proteção e combate ao Coronavírus. E, se para nós, adultos, a adaptação já é difícil, para crianças dentro do TEA e com alguma condição neurológica o desafio é ainda maior. Mas então, como estimular o uso da máscara nesses casos? De acordo com a terapeuta ocupacional do Centro de Excelência em Recuperação Neurológica (CERNE), Thaysse Hayane Ferreira, da maneira mais lúdica possível.




Faça com que a criança participe desse processo, dando a ela a opção de escolha da máscara. Busque seus personagens favoritos, assim elas conseguem assimilar com mais facilidade sobre a importância do objeto. “Usar o lúdico é a melhor forma de incentivo ao uso da máscara. Nossa equipe, por exemplo, tem aproveitado os treinos de Atividades de Vida Diária (AVD) e auxiliado nesse quesito, para que aos poucos ela seja incluída. Criamos ainda uma cartilha que auxilia pais e responsáveis nessa tarefa”, conta.


Ainda segundo Thaysse, graduar o tempo de uso do objeto é uma boa alternativa. Comece introduzindo pelo tempo máximo que a criança aguenta e vá aumentando. Além disso, você deve explicar, com calma, a importância desse ato e que sem a máscara não podemos sair de casa. Aproveite os momentos de brincadeira para fazer isso, você pode usar um boneco que a criança goste para colocar uma máscara, assim ela vai se sentir mais confortável em usá-la quando precisar sair.




Ou ainda, você mesmo pode colocar a máscara e incentivar os pequenos a colocarem juntos. Para finalizar a terapeuta ocupacional reforça que essa não é uma das tarefas mais fáceis para ninguém, mas é possível torná-la um pouco mais divertida. “Sabemos que não é nada fácil ficar com a máscara no rosto, nem para os adultos, imagina para uma criança que já está confinada. É um processo completamente novo de adaptação. Então torne esses momentos divertidos, assim as crianças ficarão mais tranquilas e tudo ficará bem”, acrescenta Thaysse.


Sugestão de TAG’s: saúde, cuidados, pandemia, covi-19, máscara, lúdico, autismo, brincadeiras, interação.


Sobre o Centro de Excelência em Recuperação Neurológica (CERNE)


Fundado no ano de 2016 por Canrobert Krueger, Mariana de Carvalho Krueger e Syomara Szmidziuk, a clínica é referência no atendimento a pacientes com danos neurológicos. O CERNE possui equipe especializada em diversas áreas, como: Fisioterapia, Fonoaudiologia, Musicoterapia, Neuromodulação e Terapia Ocupacional. O diferencial da clínica está nos métodos de tratamento avançados, como Theratogs, PediaSuit, Bobath, Terapia da Mão, Integração Sensorial, Contensão Induzida, ABA, DENVER, além da chegada do primeiro tratamento através da Neuromodulação ao sul do país. Para mais informações, acesse o site www.cerne.net.br ou as redes sociais Facebook https://www.facebook.com/cerneoficial e Instagram https://www.instagram.com/cerne.oficial/


* Bruna Bozza/Assessora de Imprensa/REVERSA COMUNICAÇÃO/fotos: Divugação.



8 visualizações

Receba nossas atualizações

  • Ícone do Facebook Branco
  • Ícone do Twitter Branco

© 2023 por JORNAL ESPORTE SAÚDE. Orgulhosamente criado com CRIATIVA WEB & PUBLICIDADE