• Jornal Esporte e Saúde

Concursos militares na mira

Veja quais serão as oportunidades de entrar para as Forças Armadas em 2019



Formatura de militares - Reprodução da internet.


Continua em alta o interesse pela carreira militar. A crise econômica fez com que muitas profissões que antes eram atrativas deixassem de ser e, com isso, muitos jovens passaram a sonhar com a entrada nas Forças Armadas para ter estabilidade no trabalho e boas condições de previdência. Para quem pretende seguir esse caminho, é bom se preparar: com o novo ano vai começar a temporada de concursos para acesso às diversas funções do Exército, Marinha e Aeronáutica.


A Força Aérea promoverá pelo menos 11 concursos em 2019, a Marinha no mínimo 17 e O Exército tem previsão de 8. A maioria deles estará acessível para quem tem níveis Médio e Superior, mas também haverá provas para o Nível Fundamental. A primeira prova da agenda do próximo ano é o Exame de Admissão aos Estágios de Adaptação à Graduação de Sargento da Aeronáutica do ano de 2020, que serve de acesso à Escola de Especialistas da Aeronáutica. A inscrição começa no dia 14 de janeiro para quem tem Nível Médio ou Técnico.


Apesar das vantagens da carreira militar, é bom lembrar que a vida no quartel tem dificuldades que não são encontradas nas profissões civis. É bom levar isso em consideração antes de decidir. Pesar os prós e os contras de qualquer profissão é a melhor forma de fazer uma escolha segura.


Concursos militares na mira (2)


A começar pelo risco de vida. Durante toda a carreira, o militar convive com o perigo nos treinamentos, na vida diária ou nas operações. A possibilidade iminente de um dano físico ou da morte é fato permanente de sua profissão. O exercício da atividade militar, por natureza, exige o comprometimento da própria vida.


Antes, portanto, de se decidir por um desses concursos, é preciso considerar esse fator. Principalmente nos dias atuais, em que militares estão sendo utilizados com frequência em ações de Segurança.


Concursos militares na mira (3)


Há outros pontos a levar em consideração: severas normas disciplinares e estritos princípios hierárquicos, que condicionam toda a sua vida pessoal e profissional; dedicação exclusiva; disponibilidade permanente; possibilidade de ser transferido de cidade ou estado; exigência física e restrição de direitos trabalhistas. De um lado da balança estão esses fatores. Do outro estão a remuneração, a estabilidade e um excelente sistema de aposentadoria.


* 0 DIA/Por FRANCISCO ALVES FILHO.






21 visualizações

Receba nossas atualizações

  • Ícone do Facebook Branco
  • Ícone do Twitter Branco

© 2023 por JORNAL ESPORTE SAÚDE. Orgulhosamente criado com CRIATIVA WEB & PUBLICIDADE