• Jornal Esporte e Saúde

Cota do PIS terá correção a mais. Saiba como conferir os valores

Rendimento será de 4,917%. Consulta poderá ser feita a partir de segunda-feira



Trabalhadores privados poderão verificar o valor a receber do PIS na Caixa Econômica Federal - José Cruz / Agência Brasil.


Rio - Trabalhadores dos setores privado e público, inscritos no programa PIS/Pasep, terão uma correção maior sobre o saldo das cotas do benefício. Os valores serão corrigidos em 4,917% na próxima segunda-feira, primeiro dia útil após os depósitos que serão feitos no dia 30 deste mês. Para os empregados privados (PIS) e públicos (Pasep) saberem se têm direito e de quanto será o aumento, basta acessar o site da Caixa Econômica Federal (www.caixa.gov.br/cotaspis) e do Banco do Brasil (www.bb.com.br/pasep, respectivamente.


De acordo com o Tesouro Nacional, os valores reajustados poderão ser consultados nos sites bancos pagadores na segunda-feira. Tem direito às cotas do PIS/Pasep quem trabalhou com carteira assinada entre 1971 e 1988 e ainda não sacou os recursos. A Constituição promulgada em 1988 passou a destinar as contribuições do PIS/Pasep das empresas ao Fundo de Amparo ao Trabalhador (FAT), que paga o seguro-desemprego e o abono salarial.


Repetindo o molde do governo Temer, a gestão Bolsonaro também vai liberar o saque dos rendimentos anuais. Mas, segundo o Tesouro Nacional, ainda não há uma previsão de quando os valores serão liberados para retiradas.


Conforme a publicação no Diário Oficial de ontem, a valorização total, de 4,91%, foi calculada seguindo fórmula sobre o saldo de cada participante do programa, que leva em conta: 0,6% referente a reserva para ajuste de cotas, 0,667% de atualização monetária, 3% de juros, 0,6% de resultado líquido adicional.


O governo informou que só parte desse rendimento, ou seja 3,6%, poderá ser retirada. Não houve explicação para o motivo da restrição.


ABONO: PRAZO ATÉ AMANHÃ


O prazo para sacar o abono do PIS/Pasep, ano calendário 2018/2019, termina amanhã e pelo menos 1,1 milhão de trabalhadores não retiram cerca de R$ 3,1 bilhões na Região Sudeste. O valor à espera de saque no Rio, segundo a Caixa Econômica, chega a R$ 125,5 milhões para 195 mil pessoas. Cada beneficiário tem a receber de R$ 84 a R$ 998.


Programa também paga abono


Um ponto importante a destacar é que as cotas do fundo do PIS/Pasep e o abono salarial do PIS/Pasep são dois itens diferentes, e um não interfere no outro. Podem receber tanto abono quanto cota os trabalhadores e servidores que se encaixam em situações específicas. É possível que um mesmo beneficiário tenha acesso aos dois pagamentos. Nesse caso, não há risco de perder os valores: o saque de um não tem nenhum impacto no do outro. O abono equivale até um salário mínimo (R$ 998).


Durante o governo de Michel Temer, as cotas do programa do PIS/Pasep foram liberadas para trabalhadores de todas as idades, com objetivo dede aquecer a economia. A permissão geral de saque vigorou por alguns meses.


Na época foram retirados R$13 bilhões. Com isso o saldo das cotas caiu de R$ 34 bilhões para cerca de R$ 21 bilhões.


Depois desse período, a retirada voltou a ser restrita a pessoas com idade igual ou acima de 60 anos, aposentados, pessoas em situação de invalidez (inclusive seus dependentes), herdeiros de cotistas e participantes no Programa de Benefício de Prestação Continuada (BPC/Loas).


O governo Bolsonaro tem afirmado que irá adotar medidas para aquecer a economia, como a liberação das cotas referentes ao rendimento do fundo do PIS. Estão em estudo ainda a liberação do saque do FGTS no mesmo molde do que também feito pela gestão anterior. Assim para cotas do PIS/Pasep, ainda não há definição de data para liberação dessas medidas.


* O DIA/Por MARTHA IMENES.









0 visualização

Receba nossas atualizações

  • Ícone do Facebook Branco
  • Ícone do Twitter Branco

© 2023 por JORNAL ESPORTE SAÚDE. Orgulhosamente criado com CRIATIVA WEB & PUBLICIDADE