• Jornal Esporte e Saúde

Dia de Combate à Hanseníase será lembrado em Macaé




No último domingo do mês de janeiro de cada ano é celebrado o Dia Nacional de Combate e Prevenção da Hanseníase. Para lembrar a data, o Programa de Vigilância e Controle da Hanseníase vai realizar uma ação de esclarecimento sobre a doença na terça-feira (29), de 9h às 12h, no Pronto-Socorro Aeroporto. O objetivo é orientar a população sobre diagnóstico precoce e o tratamento fornecido pela rede municipal. A Secretaria de Saúde oferece atendimento especializado e gratuito com equipe multiprofissional e dispensação de medicamentos. Atualmente, cerca de 30 pacientes estão em tratamento no programa.


A hanseníase, antigamente conhecida como lepra, é uma doença infecciosa, transmissível e curável que atinge principalmente a pele e os nervos periféricos, mas, também, pode afetar outros órgãos, como o fígado e os olhos. O coordenador do programa de Vigilância e Controle da Hanseníase, o médico Maurício Zampieri explica que a doença é causada por um micróbio que ataca a pele e a mucosa nasal e sua transmissão acontece através das vias respiratórias, caso o portador não esteja sendo tratado.


"A iniciativa visa informar sobre a cura da doença e, ainda, falar da precocidade do diagnóstico. Ela é importante para um tratamento mais eficiente, além da interrupção da transmissão. Quando o paciente inicia o uso do medicamento, por volta do 30° dia, deixa de transmitir a doença. O tratamento é via oral, constituído pela associação de dois ou três medicamentos e é denominado poliquimioterapia", disse o infectologista.


Os principais sintomas na pele são manchas avermelhadas ou esbranquiçadas em regiões que perdem a sensibilidade, perda de pelos na região afetada, nódulos, dores, cãibras e formigamento de mãos e pés. Já nos nervos, há a perda de movimento de pés e mãos, diminuição da força muscular, ressecamento dos olhos, atrofia dos dedos.


A hanseníase tem uma evolução lenta e, em média, 95% dos bacilos são eliminados na primeira dose do tratamento, ficando incapaz de transmitir a doença a outras pessoas. O médico esclarece que a manifestação da doença depende muito do sistema imunológico do individuo.




Transmissão


Os pacientes sem tratamento eliminam os bacilos através do aparelho respiratório superior (secreções nasais, gotículas da fala, tosse, espirro).


A hanseníase não é transmitida através de:


Copos, pratos, talheres, portanto não há necessidade de separar utensílios domésticos da pessoa com hanseníase; assentos, como cadeiras, bancos; apertos de mão, abraço, beijo e contatos rápidos em transporte coletivos ou serviços de saúde; picada de inseto; relação sexual; aleitamento materno; doação de sangue; herança genética ou congênita (gravidez).


Como se prevenir?


A prevenção baseia-se no exame dermato-neurológico e aplicação da vacina BCG.


O Programa de Vigilância e Controle da Hanseníase funciona no Centro de Saúde Dr. Jorge Caldas, localizado à Rua Tenente Coronel Amado, 255 - Centro, de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h. Telefone 2762-5707.


* Comunicação Macaé/Jornalista: Julie Silveira/Foto: Maurício Porão.






1 visualização

Receba nossas atualizações

  • Ícone do Facebook Branco
  • Ícone do Twitter Branco

© 2023 por JORNAL ESPORTE SAÚDE. Orgulhosamente criado com CRIATIVA WEB & PUBLICIDADE