• Jornal Esporte e Saúde

Dia Internacional da Mulher: comemorações iniciam no Hotel de Deus



As atividades em comemoração ao Dia Internacional da Mulher tiveram início nesta quarta-feira (4), no Hotel de Deus, organizadas pela Coordenadoria de Políticas para as Mulheres. Foi realizada uma roda de conversa com o tema "Igualdade entre os gêneros", com as facilitadoras Paula Sirelli, que é assistente social e professora da Universidade Federal Fluminense (UFF); Marcela Vasques, do Coletivo Minha Pele e a assistente social Nania Bonometti.


A assistente social e professora da UFF, Paula Sirelli, falou sobre a parte histórica das lutas de gênero. Já Marcela Vasques fez breve histórico sobre o feminismo e o feminismo negro, quando destacou o papel da mulher negra e a importância da resistência nas lutas.


"Somos oprimidas o tempo todo, pois a nossa sociedade é patriarcal, faltam opções para falarmos e expressarmos o nosso pensamento. Temos que ser resistentes", enfatizou Marcela.


Ela falou ainda que no início do movimento feminista, as mulheres lutavam pelo direito de votar, no entanto, as mulheres negras não se viam representadas nessa luta. "Nos anos 60, Simone de Beauvoir defendia que a mulher é o outro do homem. Também nessa época a mulher negra não era representada e a partir da década de 70, a luta era por igualdade e ocupar o mercado de trabalho", acrescentou.


Marcela disse ainda que a mulher negra era vista com olhar de mulata erotizada ou a doméstica e subalterna. Para ela, as mulheres negras têm que ocupar todos os espaços, no entanto, ainda há muito que avançar nesse aspecto.


A assistente social Nania Bonometti comentou sobre interseccionalidade e assinalou a importância das mulheres negras serem ouvidas.


"Precisamos ser ouvidas e ter voz. Existem várias formas de opressões, como a racial, de gênero e classe social. O povo negro, depois do fim da escravidão, foi jogado à própria sorte", frisou.


Ela acrescentou ainda que deve-se pensar em modelo de transformação para que se possa pensar no papel de cada um, para que se consiga atingir uma sociedade mais igualitária, na qual as mulheres devem permanecer unidas.


A programação prossegue na próxima segunda-feira (9), às 10h, no Hotel de Deus, onde haverá a roda de conversa Direito de Uma, Direito de Todas com a equipe do Centro Especializado de Atendimento à Mulher (Ceam) e graduandas do curso de Direito da UFF Campus Macaé. A programação segue até o dia 30 de março, com a eleição das novas integrantes do Conselho Municipal dos Direitos da Mulher (Comdim). As atividades terão início às 9h, no auditório do Paço Municipal com a palestra “A importância da participação no controle social”.


O Centro Especializado de Atendimento à Mulher (Ceam) funciona na Rua São João, 33, ao lado da 123ª Delegacia Legal. Mais informações pelo telefone (22) 2796-1045.



* Jornalista: Liliane Barboza/Fotos: Ana Chaffin/Comunicação Macaé.









0 visualização

Receba nossas atualizações

  • Ícone do Facebook Branco
  • Ícone do Twitter Branco

© 2023 por JORNAL ESPORTE SAÚDE. Orgulhosamente criado com CRIATIVA WEB & PUBLICIDADE