• Jornal Esporte e Saúde

Equoterapia: prática promove desenvolvimento


Gratidão. Esse é o sentimento das mães ao olharem a evolução dos seus filhos após a prática da Equoterapia. O método terapêutico oferecido pela Prefeitura de Macaé, por meio da Secretaria de Saúde, tem importante papel no desenvolvimento de pessoas com necessidades especiais. O atendimento acontece de segunda a sexta-feira, de 8h às 17h, no Parque de Exposições Latiff Mussi.




E a alegria de Elivelton Júnior, ao participar, mostra que a programa tem feito a diferença na vida do jovem de 19 anos, que contou orgulhoso que já participou de dois torneios de jiu-jitsu. A mãe, Maria Luzia Mendes, afirma que a equoterapia também faz parte dessa conquista. "Esse tratamento é ótimo. O Elivelton era todo molinho, hoje ele já consegue se locomover, mesmo que com minha ajuda, além da melhoria na prática esportiva, que ele adora", disse.


A Equoterapia é um método terapêutico no qual o cavalo tem um papel principal dentro de uma abordagem indisciplinar nas áreas de saúde, educação e equitação, buscando o desenvolvimento biopsicossocial de pessoas com deficiências e/ou necessidades especiais.


A prática traz benefícios como: superar fobias, melhorar memória, concentração e sequência de ações, motiva o aprendizado encorajando o uso da linguagem, ensina a importância de regras como segurança e disciplina, aumenta a capacidade de independência e de decisão, melhora o equilíbrio e postura, desenvolve a coordenação de movimentos entre tronco, membros e visão, estimula os órgãos do sentido e promove organização e consciência do corpo.


"Meu filho quando começou não equilibrava o próprio corpo. Hoje ele já senta sozinho, também aprendeu a lidar com os animais. Eu sou muito grata por ele ter essa oportunidade", afirma Gralviane Chagas, mãe do Gabriel, de 4 anos, que participa do programa há cerca de um ano.


A terapia é realizada durante 30 minutos, com três praticantes por horários. A equipe é formada por psicólogos, fisioterapeutas, educador físico, equitador e o tratador de cavalos.


"O método utilizado no nosso trabalho vai de acordo com a patologia do praticante. É unânime a nossa satisfação e dos pais com a evolução deles, isso é nítido na vida dessas crianças", disse a psicóloga, Allana Costa Sarzeda.


A satisfação de que Allana fala é clara nos olhos da mãe de Matheus, de 9 anos. "A gente que tem um filho especial sabe como é gratificante ver essa evolução. Meu filho entrou aqui com 4 anos e bem molinho e sem andar, hoje ele consegue se locomover sozinho", disse Ana Beatriz, reconhecendo como o tratamento complementar com a equoterapia foi importante para o desenvolvimento do seu filho.



Para participar, o paciente passa por uma triagem. É preciso ir até a sede do programa, de segunda a sexta-feira de 8h às 17h, com encaminhamento médico. Logo após, é realizada avaliação individual para saber se ele está apto a participar. Mais informações no telefone 2759-3400.


Na serra


A equoterapia também atende a população da região serrana, toda sexta-feira de 8h às 17h, no Parque de Exposição, no distrito de Córrego de Ouro.


* Comunicação Macaé/Fotos: Bruno Campos.





0 visualização

Receba nossas atualizações

  • Ícone do Facebook Branco
  • Ícone do Twitter Branco

© 2023 por JORNAL ESPORTE SAÚDE. Orgulhosamente criado com CRIATIVA WEB & PUBLICIDADE