• Jornal Esporte e Saúde

Professores adotam Google Classroom e Google Apps para dar aulas à distância



O distanciamento social e a mudança da sala de aula para o ambiente virtual nas redes pública e privada de ensino, em função da pandemia do novo coronavírus, vem permitindo que professores se mobilizem na campanha "Educação não para e não deixa ninguém parado". Os educadores da rede municipal substituíram as salas de aula por plataformas on-line, como o blog www.educacaonaopara.com e e redes sociais (grupos de WhatsApp, Facebook e Instagram). Para adaptação à nova metodologia de ensino, as escolas apostam na parceria com os profissionais de ensino. Na Ajuda de Baixo, o Colégio Municipal Professora Elza Ibrahim destaca a colaboração dos professores e comunicação com a comunidade escolar como estratégias essenciais no período de suspensão das aulas. A unidade que atende aos 1.100 alunos do 2º ao 9º anos, Correção de Fluxo Escolar e Educação de Jovens e Adultos (Eja) e oferece virtualmente conteúdos específicos das disciplinas, videoaulas, sugestões de links, vídeos e livros, através do blog da Secretaria de Educação e grupos de WhatsApp.

Para melhor disponibilização das atividades, os professores estão utilizando o Google Classroom, sistema de gerenciamento de conteúdo destinado às escolas. O recurso do Google Apps, segundo a diretora adjunta, Amanda Ferreira Alves Ramos, foi a melhor solução encontrada para atender virtualmente as turmas, que foram divididas por ano de escolaridade - Adaptação à ferramenta O professor de História, Naicon de Souza Brinco, está utilizando a ferramenta. Ele leciona para cerca de 300 alunos dos colégios Municipal Elza Ibrahim e Ancyra Gonçalves Pimentel (Miramar). Há 9 anos na rede municipal, o educador não tinha experiência com o ensino à distância. Ele afirma que o curso de formação "Google Drive", oferecido pelo Núcleo de Tecnologia Municipal (NTM), contribui bastante para a atuação no novo modelo de ensino. "Graças ao curso estou me adaptando melhor e utilizo o ´Google Classroom´ com mais habilidade. Incluo formulários, testes e vídeos, animações, links de pesquisa e questões sociais e históricas sobre pandemias. Procuramos fazer o melhor para atender os alunos neste período. Na volta às aulas vamos fazer revisão do conteúdo e continuar este trabalho no laboratório de informática", conta. Distante do convívio com os estudantes e da agitação das salas de aula, Naicon procura manter a rotina de trabalho. "Tento preparar minhas aulas e trabalhar nas ferramentas on line nos dias e horários, que estaria em sala de aula. Alguns alunos e pais tiram dúvidas em outros horários, e eu não deixo de atender", lembra. O professor confessa que esta fase de ensino a distância deixará uma lição. "Mesmo cada um na sua casa, somos mais fortes. Estamos ao lado da sociedade. A educação vai além dos muros da escola", declara Naicon. A direção da unidade considera que o resultado das atividades on line está sendo positivo. "Investimos no processo de comunicação. Estamos criando várias estratégias para atender os anos de escolaridade. Os alunos do 1º ao 5º ano recebem também atividades lúdicas, as turmas de 6º ao 9º ano, por exemplo, aproveitam para tirar dúvidas via WhatsApp. Além disso, muitos estudantes da EJA são pais dos alunos de outras turmas e estão aproveitando para estudar em família", pontua Amanda Ferreira. * Jornalista: Joice Trindade/Fotos: Divulgação/Prefeitura de Macaé/Secretaria de Comunicação Social/Coordenadoria de Jornalismo.









6 visualizações

Receba nossas atualizações

  • Ícone do Facebook Branco
  • Ícone do Twitter Branco

© 2023 por JORNAL ESPORTE SAÚDE. Orgulhosamente criado com CRIATIVA WEB & PUBLICIDADE