• Jornal Esporte e Saúde

Rio das Ostras organiza fluxo de atendimento de pacientes para especialidades médicas


Fluxo Agendamentos -Cláudio Pacheco- Medidas são para evitar deslocamentos longos e formação de filas para agendamentos nos Centros de Saúde.


A Secretaria de Saúde de Rio das Ostras realizou, recentemente, uma reunião com gerentes de centros de Saúde do Município, para organizar o fluxo de atendimento de pacientes e agendamentos para as especialidades médicas das unidades, no contexto da pandemia da Covid-19.


Os serviços de Saúde passam por uma sobrecarga em todo o país, com maior demanda de profissionais na atenção direta aos casos de Covid-19, bem como para a reposição imediata dos profissionais da área que foram afastados por adoecimento. Por isso, a Secretaria de Saúde vem adotando diferentes estratégias para o atendimento de pacientes, principalmente, de idosos e pessoas com doenças crônicas, incluindo até acompanhamento por aplicativos de telemedicina e teleatendimento para pacientes já assistidos pelos programas de saúde, seguindo sempre as orientações do Ministério da Saúde e autoridades médicas.


Segundo a diretora do Departamento de Programas de Saúde, Michella Câmara, há uma preocupação de reordenação do fluxo de atendimento, onde o ponto inicial do munícipe, na busca às suas necessidades de saúde, deve ser as unidades próximas as suas residências, exceto para as urgências e emergência, onde a Unidade de Pronto Atendimento - UPA 24h é a referência.


“A pandemia pela Covid-19 irá mudar as rotinas de atendimento nas unidades por um longo período. Não há possibilidade de pensarmos numa retomada do que era anteriormente, principalmente se tratando do acompanhamento de saúde dos grupos de risco, incluindo pessoas com doenças crônicas e idosos. É necessário pensar em estratégias para o acompanhamento desta população, de forma segura, evitando o contágio no deslocamento da residência ou nos serviços de saúde”, ressalta Michella. 


- ORIENTAÇÕES – Ainda de acordo com Michella, os pacientes que precisam acessar os centros de saúde, para consultas com especialistas, devem primeiro ser avaliados para essa necessidade, pelo clínico geral ou médico de família que fará o encaminhamento. O agendamento para o especialista deverá ser realizado na unidade de origem do encaminhamento. Essa é uma medida para evitar deslocamentos longos dos pacientes e a formação de filas para os agendamentos nos Centros de Saúde.


- ATENDIMENTOS - Sendo assim, a Coordenadoria de Gestão, Avaliação e Auditoria – COGA mantém suas atividades, realizando agendamentos para os exames de imagem, mediante os protocolos já utilizados para os referidos agendamentos, incluindo ultrassom para gestantes e outros usuários, com exceção dos exames de Endoscopia, Colonoscopia e necessários aos diagnósticos de otorrinolaringologia, visto riscos destes procedimentos para o momento atual. Já os serviços de diagnósticos ou de tratamento que são agendados mediante regulação do Estado, estão em tempo adiados, ficando ativos os serviços referentes a diagnóstico e tratamento oncológico e cardiológico.


Já os encaminhamentos para as especialidades médicas, que atendem nos Centros de Saúde Extensão do Bosque e de Nova Cidade, e no Ambulatório de Saúde Mental devem ser realizados mediante ficha de referência e contra-referência, priorizando pacientes com descompensação clínica e/ou falha terapêutica, onde a avaliação do especialista se torna necessária para a condução do tratamento.


Os agendamentos para as especialidades médicas passam a ser de responsabilidade da unidade encaminhadora (UBS, ESF, UPA, Pronto-Socorro ou Hospital Municipal), devendo ser realizadas por contato telefônico com os Centros de Saúde e Ambulatório de Saúde Mental. Cada unidade deve traçar sua estratégia para que os agendamentos sejam realizados e comunicados aos pacientes.


“É importante observar que as medidas de distanciamento social devem continuar. Os atendimentos eletivos continuam adiados. A pessoa que possui uma doença crônica e se mantem clinicamente estável e com boa adesão aos tratamentos prescritos, deve evitar idas as unidades de saúde. Portadores de doenças crônicas com quadros alterados e com instabilidade clínica, que não sejam urgências e emergências, devem procurar primeiramente as unidades mais próximas às suas residências”, completa a diretora do Departamento de Programas de Saúde, Michella Câmara.

* Secom Rio das Ostras.





0 visualização

Receba nossas atualizações

  • Ícone do Facebook Branco
  • Ícone do Twitter Branco

© 2023 por JORNAL ESPORTE SAÚDE. Orgulhosamente criado com CRIATIVA WEB & PUBLICIDADE