• Jornal Esporte e Saúde

Sífilis: capacitação e sensibilização mobilizam corpo técnico da saúde

Atualizado: 20 de Set de 2019

Nessa quinta-feira (19), médicos, enfermeiros, dentistas, assistentes sociais e psicólogos da Rede Municipal de Saúde participaram da capacitação Diagnóstico, Tratamento e Seguimento da Sífilis e Dados Epidemiológicos.




Uma série de encontros está acontecendo no município, a proposta é garantir um tratamento continuado, profissionais da saúde também se reuniram, na manhã de quarta-feira (18), no Hospital Público Municipal (HPM). De acordo com a gerente de Vigilância em Saúde, Daniela Bastos, durante a reunião foram definidos pontos importantes para o manejo dos casos positivos.


"A Vigilância em Saúde, Programa de Saúde da Mulher e Estratégia Saúde da Família buscaram parcerias com os profissionais do HPM para revisão do protocolo e homogeneidade das ações. Dessa forma, haverá uma só abordagem, o que vai proporcionar, portanto, uma comunicação mais clara e, como consequência, um tratamento contínuo. Os números mostram que a adesão dos homens ao tratamento ainda é pequena. Em 2018, em Macaé, apenas 9,1% dos parceiros foram tratados para sífilis", pontuou Daniela Bastos.


Em Macaé, foram registrados 36 casos positivos de sífilis em gestantes no ano de 2014. Esse número vem aumentando gradativamente e, de janeiro a agosto de 2019, foram constatados130 casos confirmados. Gestantes na faixa etária entre 20 a 29 anos contam com 53% dos casos.




Tratamento - A sífilis tem cura e o tratamento é gratuito. Os elevados números da doença em gestantes e sífilis congênita (passa da mãe para o filho) exigem revisão constante das condutas adotadas pelos profissionais de saúde tanto da atenção básica, quanto da média e alta complexidade. Para criar um modelo de atendimento à doença e, também, atualizar o protocolo clínico do Ministério da Saúde, que visa simplificar o tratamento da sífilis, a Secretaria de Saúde segue com as ações de capacitação ao longo do mês.


O boletim Epidemiológico de sífilis do Ministério da Saúde, publicado em 2017, mostrou que nos últimos cinco anos foi observado um aumento significativo no número de casos de sífilis congênita, sífilis em gestante e sífilis adquirida. Em 2016, o Ministério da Saúde reconheceu sífilis como epidemia.


Todos os casos de sífilis são de notificação obrigatória. Um dos alvos mais frágeis e um grupo que tem sofrido em epidemias recentes no Brasil são as gestantes.


Entre os anos de 2007 a 2019 foram notificados, por meio do Sistema de Informação de Agravos de Notificação (Sinan), 2.177 casos de sífilis adquirida. Somente em 2018 foram diagnosticados 483 casos (22% dos casos notificados) desse tipo da doença. Os dados também apontam a sífilis congênita com o maior número de casos entre as mães na faixa etária de 20 a 34 anos, somando 60% dos casos positivos em Macaé. Já as mães de 35 a 49 anos contam com 3%. Em 2018, foram notificados 111 casos desse tipo de sífilis. Em 2019, até agosto, foram 70 casos confirmados.


De acordo com a bióloga da Divisão e informação da análise de dados - Dados Vitais - Franci Barros, desde 2014 foi criado um Grupo de Trabalho para atuar de forma precisa no combate á Sífilis.


"Lembrando que as pessoas estão se sensibilizando e, cada vez mais, buscam realizar o teste. A sífilis pode causar diversos sinais, porém, em muitos casos, não é apresentado nenhum sintoma. Portanto, o município pede para que todas as pessoas que praticam ato sexual sem preservativo, façam o teste. O tratamento é gratuito, sigiloso e rápido", pontuou Franci Barros.




Sífilis - A sífilis é uma Infecção Sexualmente Transmissível (IST) causada pela bactéria Treponema pallidum. A doença pode apresentar várias manifestações clínicas e diferentes estágios. O uso correto e regular da camisinha é uma medida importante de prevenção da sífilis e o acompanhamento das gestantes e do parceiro durante o pré-natal contribui para o controle da sífilis congênita.


O teste rápido de sífilis é prático e de fácil execução, com leitura do resultado em, no máximo, 30 minutos, estando acessível para todas as pessoas, sem a necessidade de encaminhamento médico. O teste pode ser realizado no Centro de Testagem e Aconselhamento (CTA) e o Serviço de Assistência Especializada (SAE), localizado à Rua Alfredo Backer, 182, centro de Macaé. Em algumas situações, como gestantes, por exemplo, os testes também são oferecidos em algumas Unidades Básicas de Saúde e Estratégias Saúde da Família do município. A proposta da secretaria de Saúde é oferecer o teste em todas as Unidades da Saúde.


* Secom Macaé - Jornalista: Julie Silveira - Foto: Rui Porto Filho e Maurício Porão.





0 visualização

Receba nossas atualizações

  • Ícone do Facebook Branco
  • Ícone do Twitter Branco

© 2023 por JORNAL ESPORTE SAÚDE. Orgulhosamente criado com CRIATIVA WEB & PUBLICIDADE