• Jornal Esporte e Saúde

Supermercados fornecerão 2 sacolas reutilizáveis por compra nos 6 primeiros meses


No centro, Fabio Queiróz, presidente da Asserj,acompanhado de Ana Paula Rosa, coordenadora do conselho jurídico da Asserj, e Marcelo Szpilman, diretor-presidente do AquaRio Foto: No centro, Fabio Queiróz, presidente da Asserj,acompanhado de Ana Paula Rosa, coordenadora do conselho jurídico da Asserj, e Marcelo Szpilman, diretor-presidente do AquaRio / Saulo Guimarães.


Cerca de 1500 supermercados fluminenses oferecerão 2 sacolas reutilizáveis por cliente a cada compra nos seis primeiros meses de proibição das bolsas descartáveis, que começa a valer a partir desta quarta-feira. Quem precisar de mais embalagens poderá adquiri-las já a partir de amanhã nas lojas a R$ 0,08 centavos cada uma. A expectativa é que, já no primeiro ano, 1 bilhão de sacos a menos sejam consumidos no território fluminense.


Serão oferecidas sacolas que poderão ser reutilizadas de 20 a 50 vezes, com capacidade para 4, 7 e 10 quilos nas cores verde e cinza. A ideia é que os consumidores usem as verdes para o descarte de lixo reciclável, que poderá ser feito nos próprios supermercados, e as cinzas para restos de comida e outros materiaisnão-recicláveis.


Apesar da "fase de transição", em que será possível contar com sacolas no início da lei, o objetivo primordial não é vender saquinhos do novo tipo, mas estimular os clientes a criarem o hábito de terem consigo uma bolsa reaproveitável sempre que forem fazer compras.


— É impossível acabar com o plástico, mas esperamos estar dando um primeiro passo — afirmou Fábio Queiróz, presidente da Associação de Supermercados do Estado do Rio de Janeiro (Asserj).


Além disso, a troca das sacolas descartáveis pelas reutilizáveis em 1500 supermercados do estado do Rio a partir desta quarta-feira permitirá que as lojas aumentem o número de promoções, segundo a Asserj. A informação foi dada durante entrevista coletiva sobre a mudança na manhã desta quarta-feira.


— O preço das sacolas brancas está incluso no preço das mercadorias. Com as novas sacolas, só vai pagar aquele que consumir. É isso faz com que saia do nosso custo operacional o custo com as sacolas. Logo, nós teremos mais promoções nas nossas gôndolas.


Além de Queiróz, participaram da coletiva Ana Paula Rosa, coordenadora do conselho jurídico da Asserj, e Marcelo Szpilman, diretor-presidente do AquaRio. De acordo com Szpilman, a campanha iniciada pela Asserj pela redução do uso de sacolas descartáveis no estado está em sintonia com a proposta do aquário.


— Sacolas e resíduos plásticos matam milhares de animais ao redor do mundo todos os dias. Por isso, o Aquário abraça essa causa. Que venham mais campanhas como essa.


Com a decisão, o Rio sera o primeiro estado do pais a banir as sacolas descartaveis dos supermercados. De acordo com Ana Paula, mais de 4 mil dos 200 mil funcionários do setor no estado foram treinados para a troca das sacolinhas, determinada pela lei 8006/2018.


Números levantados pela Asserj e confirmados por outras entidades apontam que o estado do Rio consome cerca de 4 bilhões de sacolas por ano. A expectativa é que, já no primeiro ano, 1 bilhão de sacos a menos sejam consumidos no território fluminense.


* Extra/Globo/Notícias/Saulo Guimarães.


4 visualizações

Receba nossas atualizações

  • Ícone do Facebook Branco
  • Ícone do Twitter Branco

© 2023 por JORNAL ESPORTE SAÚDE. Orgulhosamente criado com CRIATIVA WEB & PUBLICIDADE